Vacinas na gestação

Vacinas na gestação

A confirmação de uma gravidez sempre vem acompanhada de muita alegria para toda a família. No entanto, é preciso se lembrar que esse é o momento de garantir que a gestação seja tranquila e que tanto a mãe quanto o bebê se mantenham saudáveis.

Por isso, o acompanhamento pré-natal é fundamental para que quaisquer problemas sejam identificados precocemente e os riscos reduzidos – e até eliminados – durante o período da gestação até o parto. Sendo assim, a vacinação desempenha um papel importante neste acompanhamento.

Quais as vacinas que a gestante deve tomar?

De acordo com o Programa Nacional de Imunizações (PNI), determinado pelo Ministério da Saúde, é recomendável que as mulheres tomem três vacinas durante a gestação. São elas:

Vacina contra GRIPE (Influenza – H1N1):

Durante a gestação, a gripe pode sofrer complicações evoluindo para patologias mais severas (pneumonia), aumentando riscos para a gestante e o bebê. O risco de que tais complicações surjam é alto durante toda a gestação.

Estudos realizados em mães vacinadas contra a gripe indicaram menor incidência da doença e, por consequência, menores riscos de complicações.

Esta vacina pode ser administrada a partir da 12ª semana de gestação.

Vacina contra HEPATITE B:

As gestantes portadoras do vírus da hepatite B podem transmiti-lo ao bebê no momento do parto e no período de amamentação.

Portanto, ao engravidar, a mulher precisa consultar sua carteira de vacinação e se assegurar que o esquema de vacinação para Hepatite B esteja completo. Se não estiver, ou caso a gestante não tenha tomado nenhuma dose, será necessário receber a vacinação durante o segundo ou terceiro trimestre da gestação.

O esquema completo para a vacina para a hepatite B é composto por três doses. No caso de um esquema de vacinação incompleto, a gestante precisará tomar todas as doses novamente.

Vacina  contra DIFTERIA,TÉTANO E COQUELUCHE – dTpa:

Esta vacina tem como finalidade a proteção da gestante e, por consequência, o bebê contra o tétano e a coqueluche.

A COQUELUCHE tem uma alta taxa de mortalidade quando acomete recém-nascidos. A transmissão da doença pela mãe,  geralmente acontece em cerca de 40% dos casos. Portanto, a vacinação durante o período gestacional, diminui o risco desta transmissão direta após o parto. A proteção da vacina ao bebê, é adquirida durante o período gestacional através da placenta.

O período de administração desta vacina compreende entre a 27ª e a 36ª semana de gestação.

Mesmo as gestantes vacinadas em gestações anteriores deverão receber nova dose desta vacina durante a gestação atual.

Caso a gestante não saiba se tem o esquema completo da vacina para o tétano (três doses), ela deverá tomar duas doses da dT e uma dose da dTpa, com um intervalo de 30 e 60 dias respectivamente, entre as doses.

A gestação é um período importante e delicado, por isso, garantir a saúde da mãe e do bebê com as vacinas permite que ambos possam desfrutar de qualidade de vida.

Saiba mais sobre nossas vacinas