Ultrassom: 7 fatos que talvez você não saiba

Ultrassom: 7 fatos que talvez você não saiba

Ultrassom: 7 fatos que talvez você não saiba: Durante nove meses um sentimento acompanha a futura mamãe, a ansiedade. E um dos momentos mais aguardados é o ultrassom, pois é quando a gestante vai ter certeza de que vai estar tudo bem com seu bebê.

Muitas mamães ficam ansiosas e tem curiosidades sobre o exame, mas antes temos que entender o que é o ultrassom. Existe o ultrassom morfológico do segundo trimestre e o ultrassom 4D. Leia abaixo e entenda uma pouco mais sobre esses exames.

O ultrassom morfológico do segundo trimestre é um exame essencial e necessário no pré-natal, feito geralmente entre 20 e 24 semanas de gestação. Ele serve para avaliar o desenvolvimento e a anatomia do bebê com bastante detalhe, incluindo os órgãos internos, além de ser possível também ver o sexo do bebê. O ultrassom é totalmente seguro, pois não emite radiação ionizante.

No ultrassom 4D mostra os detalhes do corpo do bebê, sendo possível ver o rosto e os órgãos genitais com mais nitidez, além de ver os movimentos que o bebê faz na barriga da mamãe.  O ultrassom pode ser realizado em qualquer fase da gestação, embora é importante saber que dependendo da idade gestacional, a imagem pode ser diferente.

Ultrassom: 7 fatos que talvez você não saiba.

Listamos 7 fatos que talvez você não saiba sobre o exame. Leia e compartilhe a informação com quem você conhece.

  1. Estar acima do peso, dificulta o exame, sabe porquê? Qualquer barreira que impeça a transmissão do som, pode influenciar na qualidade da imagem obtida. Não só o excesso de gordura, mas também edema ocasionado pela gestação ou cicatriz abdominal, como a de plástica de barriga, podem interferir no exame;
  2. Ultrassonografias não prejudicam o desenvolvimento do bebê, não há impedimentos para a realização do exame. É considerado um método seguro e sem efeitos colaterais;
  3. Muitas gestantes possui a dúvida se o ultrassom transvaginal é contraindicado para elas, pois não tenha medo, a ultrassonografia transvaginal é a mais indicada para a avaliação da gestação inicial, pois ela permite observar detalhes que seriam difíceis de serem obtidos via abdominal, principalmente em gestantes que o útero é retrovertido (virado para trás);
  4. O exame deve ser obrigatório durante a gravidez, pois o exame é uma ferramenta que ajuda no diagnóstico de complicações e de uma gravidez saudável. Por isso, faça sempre que for solicitado;
  5. O bebê não ouve o som emitido pelo ultrassom, pois o exame utiliza mais de três milhões de hertz e o ouvido humano só tem a capacidade de ouvir frequências de até dois mil hertz, o que prova que não é possível que ele ouça ou tenha qualquer desconforto;
  6. O exame não machuca o bebê e é extremamente seguro para a futura mamãe e para o bebê, até mesmo o transvaginal, que é incômodo para a mulher, não gera atinge o colo do útero, o que mantem o bebê seguro;
  7. Muitas futuras mamães possuem dúvidas quando ouvem falar em translucência nucal, mas não precisa ter medo, pois é apenas uma parte do exame para saber se está tudo bem com o bebê, neste exame é medido a região da nuca do bebê e isso ajuda a identificar problemas e alterações, como a Síndrome de Down.

Qualquer dúvida entre em contato com seu médico, pois somente ele pode te informar se está
no momento certo de fazer o exame. Para conhecer mais sobre os exames realizados pela Climed, clique aqui.