Riscos da gravidez na adolescência

A gravidez na adolescência é uma preocupação individual, mas também de saúde pública. Isso porque, segundo o relatório mais atual da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil tem 68,4 bebês nascidos de mães adolescentes a cada mil meninas de 15 a 19 anos.

O índice brasileiro está acima da média latino-americana, estimada em 65,5. No mundo, a média é de 46 nascimentos a cada mil. Em países como os Estados Unidos, o índice é de 22,3 nascimentos a cada mil adolescentes de 15 a 19 anos.

A gravidez na adolescência além de criar obstáculos para o desenvolvimento psicossocial da mulher, ainda faz com que o bebê fique vulnerável a riscos e doenças, tenha uma saúde mais frágil e um desenvolvimento social mais prejudicado.

A propensão de riscos na gestação precoce, normalmente, é devido à falta de preparo do corpo de uma adolescente. Mulheres nesta fase da vida ainda não possuem maturidade do sistema reprodutor, ou seja, ele ainda não foi totalmente desenvolvido. Há também problemas anatômicos comuns na adolescência como tamanho e conformidade da pelve e elasticidade dos músculos uterinos

Riscos

Geralmente, os riscos de uma gravidez na adolescência são: o aborto espontâneo ou parto prematuro. O grupo mais propenso a esses problemas está na faixa etária de 11 a 15 anos. Abaixo listamos outros fatores de riscos associados a uma gravidez precoce:

  • Pré-eclâmpsia e eclâmpsia;
  • Bebê com baixo peso ou subnutrido;
  • Complicações no parto, que pode levar a uma cesariana;
  • Infecção urinária ou vaginal;
  • Aumento do risco de depressão pós-parto;
  • Aumento do risco de rejeição ao bebê.

Leia o nosso ARTIGO sobre infecção urinária na gravidez

Outros fatores

Além da idade, o peso da adolescente também pode significar um risco, já que uma adolescente que pesa menos de 45 quilos apresenta maiores chances de gerar um bebê pequeno para a idade gestacional.

A obesidade também pode ser prejudicial, inclusive para a mãe, pois aumenta o risco de diabetes e de hipertensão arterial durante a gravidez. Se a altura da adolescente for inferior a 1,60 cm, ocorre uma maior probabilidade de ter um quadril pequeno, o que aumenta as chances de trabalho de parto prematuro e de dar à luz a um bebê muito pequeno por atraso de crescimento intrauterino.

Pré-natal

Para ter uma gestação saudável na adolescência é fundamental que a mulher realize o pré-natal. A única diferença entre o pré-natal de uma adolescente e de uma mulher adulta é a periodicidade das consultas, que deve ocorrer em um tempo menor. Dessa forma, é possível diagnosticar precocemente alguma patologia que possa surgir, considerando que há riscos maiores na gravidez precoce.

Além do pré-natal, a gestante adolescente precisa passar por consultas regulares, atividades educativas, conhecer o local do parto, ter o direito de acompanhante, além do leito e garantia de que o local em que fará o parto será adequado as suas necessidades.

Se você ainda tem dúvidas sobre a gravidez na adolescência e seus riscos, converse com um médico. A ajuda profissional é fundamental para entender melhor o processo e quais mudanças e cuidados podem ocorrer nesta fase da vida.

 

Referências

Riscos da gravidez na adolescência

https://goo.gl/hrKfJc

Gravidez na adolescência: riscos e cuidados necessários

https://goo.gl/iBpjbC

Brasil tem gravidez na adolescência acima da média latino-americana

https://goo.gl/b7rcF8

WhatsApp chat