A reprodução medicamente assistida, também chamada procriação medicamente assistida, contempla o uso de diferentes técnicas médicas para auxiliar a reprodução humana. Estas técnicas são normalmente utilizadas em casais inférteis, ainda que também o sejam em casais em que haja portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV positivo), ou do vírus da hepatite B ou C. Outra parcela do público alvo são casais com elevado risco de transmissão de doenças genéticas (por exemplo, polineuropatia amiloidótica familiar ou ainda trissomia 21).
Entre as técnicas, estão a inseminação artificial intrauterina, a fertilização in vitro, a microinjecção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI – Intra Citoplasmic Sperm Injection).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Infertilidade

A infertilidade é um caráter multifatorial e complexo, com ampla variação de manifestações clínicas. Apesar de avanços nas pesquisas em infertilidade, pouco se progrediu no campo de opções de tratamentos. Anomalias cromossômicas são uma das principais causas genéticas de infertilidade. No entanto, há influência epigenética, ambiental, de hábito de vida, entre outros, nesse caráter.

Na mulher

A infertilidade feminina está associada diversos fatores, tais como:

• Distúrbios hormonais;
• Problemas nas Trompas de Falópio;
• Endometriose;
• Muco Cervical impedindo a passagem dos espermatozoides;
• Tumores Ováricos;
• Disfunções da Tiroide;
• Tumores Hipotalâmicos e Hipofisiários;
• Anorexia;
• Nervos.

No homem

São fatores que permeiam a infertilidade masculina:

• Diminuição de espermatozoides;
• Pouca mobilidade dos espermatozoides;
• Espermatozoides anormais;
• Vasectomia;
• Disfunção sexual;
• Problemas endócrinos;
• Problemas testiculares;
• Obstrução dos epidídimos.

WhatsApp chat