Meningite e a importância da vacinação

O que é Meningite?

Meningite indica processo inflamatório e/ou infeccioso das membranas que envolvem o cérebro. As meningites podem ser bacterianas (ou purulentas), virais e granulomatosas (tuberculosas e fúngicas). Possuem uma alta prevalência na faixa etária pediátrica, principalmente crianças na faixa etária de menor responsividade imunológica (recém-nascidos e menores de 2 anos).

A meningite pode deixar várias sequelas nos pacientes e apresentam uma alta (cerca de 20% dos pacientes vão ao óbito).Quanto mais cedo iniciado o tratamento, maior a probabilidade de cura e de sequelas. É um sério problema de saúde pública, principalmente nos países em desenvolvimento.

A disseminação das meningites bacterianas é de pessoa para pessoa, principalmente por meio de gotículas e secreções expelidas pelas vias respiratórias. Mas um dado importante (e assustador): Os adultos podem ter a bactéria na garganta e transmiti-la sem que a doença se manifeste. Por isso, o ideal é que todos os contactantes mais próximos da criança sejam vacinados e que se evite estar com a criança em aglomerações.

No Brasil são três os principais agentes causadores de meningite bacteriana: Haemophilus influenzae (quase sem casos registrados nos últimos anos devido a vacinação), meningococo e pneumococo.

A meningite meningocócica é a mais comum em nosso meio. Atinge principalmente as crianças menores de 2 anos de idade (faixa em que ocorre a maioria dos óbitos), mas pode atingir também adolescentes e adultos.

A segunda causa mais comum de meningite bacteriana é a infecção pneumocócica que, como a meningocócica, atinge principalmente os menores de 2 anos.

A Vacinação

A melhor maneira de evitar é prevenindo antes que um contato com a doença ocorra; e a melhor maneira de se prevenir é através da vacinação.

A vacina conjugada contra o Haemophilus influenzae do tipo b faz parte do calendário básico de vacinação, estando disponível em postos de saúde, na vacina PENTA de células inteiras que é aplicada a partir dos dois meses de idade, com grande proteção (tornou-se uma doença rara atualmente, graças à vacinação em massa). Na rede privada, essa vacina encontra-se em combinação nas vacinas HEXA e PENTA acelulares e na apresentação isolada. Crianças com mais de cinco anos de idade em geral não necessitam tomar esta vacina. No entanto, adultos e crianças mais velhas com problemas de saúde especiais podem ter recomendação para vacinação. Todas as crianças, a partir de 2 meses de idade, indivíduos sob alto risco para desenvolver doença grave ou com outras situações de risco associada  e em situações em que há diminuição da resposta imunitária (anemia falciforme, pessoas sem baço, alcoolismo, transplante de medula óssea, traumatismos cranianos e endocardite bacteriana) devem ser vacinados.

Contra a doença meningocócica, existem dois tipos de vacina: as vacinas conjugadas (C e ACWY) e a vacina meningocócica B.

As vacinas conjugadas contra a meningite meningocócica possuem elevada eficácia (inclusive em menores de um ano) e conferem proteção prolongada. A vacina meningocócica conjugada C foi incluída no calendário público de vacinação do Brasil em 2010, para crianças de 2 meses até 2 anos de idade.

A vacina meningocócica conjugada ACWY e a vacina meningocócica B só estão disponíveis na rede privada de clínicas de vacinação. A importância destas vacinas reside no fato de que muitos países, inclusive o nosso, vêm observando aumento na proporção de casos de doença meningocócica pelos sorotipos B e W. Além disso, em muitos países o risco de infecção pelos tipos B, A, W e Y é maior que no Brasil, de modo que esta vacina se torna a melhor opção para viajantes.

A vacina meningocócica conjugada ACWY  deve ser dada em  todas as crianças aos 3, 5 e 7 meses de idade e reforços entre 12 e 15 meses, aos 5 e aos 11 anos de idade. Também é a vacina recomendada para a imunização de adolescentes, adultos e de viajantes para regiões onde os tipos A, C , W e/ou Y apresentam alta endemicidade (exemplo: “cinturão da meningite da África”, Arábia Saudita, Estados Unidos).

A vacina meningocócica B deve ser aplicada seguindo a faixa etária da criança:

  • Crianças até 6 meses: três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade (intervalo de 2 meses entre as doses), com um reforço entre 12 e 15 meses.
  • Crianças entre 7 e 11 meses: duas doses com intervalo de 2 meses e reforço entre 12 e 15 meses de idade, com intervalo mínimo de 2 meses da última dose.
  • Crianças entre 12 meses e 10 anos de idade: duas doses com intervalo de dois meses.
  • Crianças a partir de 11 anos, adolescentes e adultos: duas doses com intervalo de um mês.

Contra a doença pneumocócica existem as vacinas conjugadas pneumocócicas 10 e 13 valentes, que são recomendadas para todas as crianças a partir dos dois meses até 5 anos de idade. A vacina 13 valente também está licenciada para adultos a partir de 50 anos..

Outra vacina disponível contra a doença pneumocócica é a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente. Não pode ser aplicada antes dos dois anos de idade (época de maior risco para doença invasiva), não tem proteção prolongada e induz à tolerância imunológica. Tem indicações mais específicas, para indivíduos de alto risco e somente pode ser usada a partir dos dois anos de idade. Crianças sob alto risco devem receber a vacina conjugada e também a vacina 23-valente.

Pessoas a partir de 60 anos de idade também devem ser vacinados com a vacina conjugada 13 valente e a vacina pneumocócica 23 valente.

Saiba mais sobre nossas vacinas