Conheça as principais dúvidas que ainda existem sobre a vacina da gripe

A influenza, mais conhecida como gripe, está entre as viroses mais frequentes em todo o mundo e desde os primórdios da humanidade é uma das principais causas de surtos e pandemias. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que cerca de 10% da população é infectada anualmente pelo vírus influenza e que 1,2 bilhão de pessoas apresentam risco elevado de desenvolver complicações ocasionadas por esta doença.

Mas, o que a Climed quer enfatizar neste ARTIGO é que a influenza pode ser prevenida por meio de vacinação. Desta forma, com a finalidade de esclarecer todas as dúvidas que ainda possam existir sobre o assunto, separamos abaixo as principais perguntas e respostas sobre a Vacina da Gripe. Confira se alguma das suas dúvidas também está entre elas:

  1. Como a gripe é causada?

Segundo a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), a influenza possui subtipos e é causada por mais de um vírus, que são classificados como A e B. No subtipo A que é o mais frequente a afetar os humanos, está presente o H1N1 e H3N2 e, no subtipo B, está o Victoria e o Yamagata.

  1. Quais grupos de pessoas estão mais vulneráveis à gripe?

Pessoas de todas as idades são suscetíveis à infecção pelo vírus influenza. Mas, a alguns grupos estão mais propensos a desenvolverem complicações graves, o que é o caso dos idosos, crianças (a partir dos seis meses até os cinco anos de idade), gestantes, profissionais da saúde, professores da rede pública ou privada e portadores de doenças crônicas.

Dentro daqueles 1,2 bilhão de infectados que potencialmente podem desenvolver complicações relacionadas à influenza que citamos anteriormente, cerca de 385 milhões são idosos acima de 65 anos, 140 milhões são crianças e 700 milhões possuem doenças crônicas.

  1. Como ocorre a transmissão da gripe?

O vírus influenza pode ser facilmente transmitido pelas secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada. Desta forma, ao falar, espirrar ou tossir já é possível que a transmissão da gripe seja feita. Isso também pode ocorrer por meio do contato das mãos com superfícies contaminadas. Neste caso, a pessoa que carrega o agente infeccioso nas mãos, ao leva-las diretamente para a boca, nariz e olhos pode se infectar.

  1. Não me imunizei e acho que estou com a gripe. Quais sintomas podem confirmar isso?

Diferente dos resfriados (causados por outros vírus), segundo a SBIm, a gripe caracteriza-se pelo início súbito de sintomas como: febre, dores musculares, tosse, dor de garganta, coriza, calafrios, tremores, dor de cabeça e falta de apetite. A infecção ocasionalmente dura uma semana e os sintomas podem persistir por alguns dias. Em alguns casos, principalmente nos grupos de maior risco, a doença pode evoluir com complicações respiratórias como pneumonia viral ou bacteriana, levando o infectado até mesmo à morte.

  1. Existe mais do que um tipo de vacina?

Anualmente as vacinas contra a gripe são atualizadas, isso porque os agentes imunizantes devem ser ajustados conforme as alterações do vírus e também de acordo com os vírus que mais estão circulando na época. Neste ano a vacina é a Trivalente ou Quadrivalente (Tetravalente). A única diferença entre elas é que a Trivalente protege contra três subtipos de vírus, duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B e a Quadrivalente protege contra quatro subtipos, duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B. Tanto a vacina Trivalente como a Quadrivalente são eficazes.

  1. Estou grávida, posso tomar a Vacina da Gripe?

Não só pode como deve! As gestantes estão presentes no grupo prioritário para a vacinação pelo maior risco de desenvolverem complicações e porque é por meio delas que os anticorpos podem ser transferidos ao bebê, também garantindo proteção contra a doença nos primeiros meses de vida.

  1. Após me vacinar contra a gripe, posso ficar gripado ou desenvolver outras reações?

A informação de que é possível pegar a gripe por meio da própria vacinação não é verdade, isso porque a vacina é constituída por vírus inativados, fracionados e purificados que não causam a doença. O que normalmente acontece é que, como a vacina da gripe é aplicada durante o outono e inverno, é bastante comum que outros tipos de vírus, exceto os que constam na vacina, causem a gripe.

Ao tomar a vacina da gripe, é possível que manifestações benignas como dor e inflamação e endurecimento no local da aplicação, febre e mal-estar que persistem por um ou dois dias aconteçam. Entretanto, esses efeitos colaterais são raros, manifestando-se em apenas 1% das pessoas imunizadas.

 

Referências

Vacinas influenza no Brasil em 2018

https://sbim.org.br/images/files/nota-tecnica-influenza-vacinas-0604-2018a.pdf

As vacinas da gripe que foram autorizadas para distribuição no Brasil

https://saude.abril.com.br/medicina/as-vacinas-da-gripe-que-foram-autorizadas-para-distribuicao-no-brasil/

Saiba mais sobre as vacinas contra a gripe disponíveis no Brasil

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-04/saiba-mais-sobre-vacinas-contra-gripe-disponiveis-no-brasil

Vacina Gripe (Influenza) — Trivalente ou Quadrivalente

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/68-vacina-gripe-influenza

WhatsApp chat